Estragar treinos... ou talvez não, no Parque da Paz!

Uma pequena história...

No passado Domingo fui até ao Parque da Paz em Almada, com a ideia de correr durante uma hora, nas calmas e a um ritmo perto dos 5:30 min/km. Iria percorrer o parque, aproveitando o bom tempo, e passear nos seus altos e baixos e pelos trilhos menos habituais de quem ali passeia nas manhãs de domingo. O Parque da Paz não é rolante, longe disso... tem muitas subidas e descidas e a ideia era aproveitar essa característica para realizar um treino diferente, para treinar o "sobe e desce".

Chegado ao parque inicio o treino, e,  passados apenas uns 4 ou 5 minutos vem em sentido contrário  um grupo onde vinham dois amigos da corrida, daqueles com quem gosto de conversar sobre a "matéria"! Faço uma inversão de marcha e junto-me ao grupo! "Oi tudo bem e tal...?" e acompanho-os na sua parte final do treino durante uns 10 minutos. Ora, eu ia treinar a 5:30 min/km, nas calmas, e de repente levei um incremento de velocidade e já ia no meio de um picanço de 4:30 min/km na minha parte inicial do treino - completamente diferente do que tinha planeado fazer! Aquela malta gosta de esticar o andamento quando sente alguém novo no pelotão! Gostas de conversa não é tótó? Então agora aguenta!!!
E agora? O que fazer com esta alteração ao programa das festas???

O que fiz foi reduzir um pouco o ritmo quando fiquei sozinho, e continuei ali perto dos 5:min/km até ao final do treino, mas sempre com o pensamento que estava a estragar tudo. Corri durante 1:04 horas, mantendo o percurso sinuoso de sobe e desce pelos trilhos mais íngremes, e terminei bastante cansado, com a sensação que não tinha feito nada de positivo! Parecia o final de uma prova!
Regresso a casa a pensar que esta sessão tinha dado cabo da minha preparação.

Desde domingo que não corria, e ontem fui treinar. Comecei devagar, na dúvida, e fui aumentando, correndo 45 minutos a um ritmo médio de 4:59 min/km, senti-me bem e acabei o treino a pedir por mais no final, que só não fiz por falta de tempo!
Como eu costumava dizer aqui há uns anos:"Mesmo TÓTIL!!!" :)

Afinal o outro treino no parque teve efeitos positivos, apesar de ter sido um treino bastante irregular no ritmo e nem sequer foi parecido com um Fartlek...
Vá-se lá perceber isto...

Hasta!

 

9 comentários:

  1. Eheheh, esses "picanços" são típicos. Uma pessoa sabe que não deve, mas é sempre difícil resistir a acelerar a passada. :)
    Continuação de bons treinos!

    ResponderEliminar
  2. Pois... mas agora já não sei se devo resistir ... :)

    Obrigado e bons treinos!

    ResponderEliminar
  3. Hehehehe....típico :) ...da próxima levas um pau, e quem passar dos 5:30min/km leva uma paulada...vais ver que ao fim de 3 ou 4 pauladas a malta sossega a passarinha :):):)
    Abraço

    P.S. Já não me lembrava do "Tótil" :) bué de fixe!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fosse no BTT, era pau nos raios com certeza! eheheh

      Abraço!

      Eliminar
  4. Esses picanços, apesar de tipicos, irritam-me um bocado! Como por exemplo marcar um treininho tranquilo, só para rolar a 5:30, com 4 ou 5 amigos e de repente já se vai a 4:30! Eu vou sempre ficando para trás a fazer de ancora, se querem andar depressa vou sozinho e pronto! Há treinos e treinos, quando se sai para rolar não é suposto andar a 4:30, pelo menos para mim. Aprendi a importancia de manter um ritmo certo com os treinos para a maratona! Faz como diz o Carlos, leva um PAU!

    ResponderEliminar
  5. :)
    Vamos lá a ver.. eu juntei-me a eles... que não têm culpa.
    Mas o que referiste também acontece muito, a malta quer mostrar serviço e puxa e puxa...e puxa! E para essas ocasiões vou arranjar um pau!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Fartlek é muito benéfico, faço-o muitas vezes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida! Mas desta vez não estava programado! :)

      Abraço

      Eliminar

Passeio noturno Papatrilhos By Night 2017 - video

Boas, Mais um ano e mais uma participação no Papatrilhos By Night. É um passeio fixe e tal, que passa pela Serra da Arrábida, mas...