terça-feira, 2 de junho de 2015

Fungágá da Bicharada!



Boas!



A propósito de um episódio com um "bicho", descrito mais abaixo, venho recordar e partilhar alguns dos meus encontros imediatos com amimais, nas minhas diversas atividades desportivas, ao longo dos anos...
Alguns desses encontros foram pacíficos ou engraçados, enquanto que outros foram mais assustadores ou dolorosos! Passo a contar as histórias, categorizadas por cada modalidade!



Na Corrida:

  • Sr. Lagarto Verde - Este foi o meu primeiro amigo selvagem no mundo da corrida e até tem direito a que eu coloque um "Sr." antes da espécie, pois foi uma amizade de muitos meses! No local onde agora é o Parque da Paz e antes das obras, habitava um lagarto de cor verde alface que quase sempre me esperava num buraco de uma árvore, e que logo se escondia assim que me via. Algumas vezes ainda esperava 2 ou 3 segundos antes de se esconder e talvez estivesse a ganhar confiança comigo...! Como as voltas eram em circuito, via-o diversas vezes durante os treinos e sabia que poderia contar com o seu apoio ao passar por ali!
  • Cão - São tão comuns os encontros com estes melhores amigos do homem, que teimam em ladrar ao pessoal que corre, que para contar todas as histórias, teria que dedicar um tópico só aos cães, embora nunca tenha tido um problema real com eles!
  • Raposa - Um dia, no mato, ia eu a correr ao final do dia, quando vejo um género de cão a afastar-se, mas devido à cauda larga e peluda desconfiei logo que seria uma raposa. Assim que me olhou de relance, confirmei. Focinho estreito, ar matreiro! Escondeu-se com maestria e nunca mais a vi na zona!
No BTT:

  • Cobra - Este foi o mais recente encontro imediato e o que me levou a escrever este post. No último Domingo, enquanto fazia o treino de corrida e bike, atravessa-se à minha frente um "bicho" com cerca de 1,20 mt. Nunca tinha visto uma cobra tão grande no seu habitat e, vivinha da Silva! Era preta e tinha uma zona verde no corpo, junto da cabeça. Ao ouvir o barulho da bike escapuliu-se pela vegetação e ainda bem, pois não gosto nada destes bichos compridos, luzidios e traiçoeiros!
  • Coelho - Ia com um primo meu de bike, tranquilamente numa estrada de terra batida, quando ao fundo da estrada vemos um coelho a vir em nossa direção, como se nos fosse enfrentar. Após o espanto de ambos e do "Olha, este coelho vai-nos atacar!", pois normalmente fogem, veio a parte cómica, pois quando estava a cerca de 10 metros de nós, fez um movimento tauromáquico com as patitas da frente, fintou-nos com uns estonteantes ziguezagues para a esquerda e direita e fugiu! Hilariante!
  • Vespa 1 - Ainda hoje não tenho a certeza, mas atribuo este incidente a uma vespa. Ia eu  lançado a descer um trilho nas imediações do Almada Fórum, quando sinto uma dor lacerante num ombro. UI!!!!! Que foi isto??? No fim do trilho, parei e observo o ombro, que tinha um inchaço razoável e um sinal de picada no meio. Até chegar a casa e durante umas horas andei à rasca do ombro!
  • Vespa 2 - Ia de bike, tranquilo, quando uma vespa se enfia no espaço das costas das luvas e aí fica presa! Sentindo-se apertada, toca de me picar a mão a torto e a direito! Coitada, não teve culpa... mas eu também não! Não é assim que se resolvem as coisas, ó pazinha!!! Andei com a mão inchada, e com dores durante umas horas! Vespas... detesto-as! Fora do desporto já tive outros "encontros"!
  • Cão - Este não me atacou mas pregou-me um valente susto! Vou eu a descer a mais de 50 km/h numa rua da Raposeira -Trafaria, quando de repente sai um béu-béu de um portão de uma casa e se atravessa à minha frente!!! Não sei como me consegui desviar sem bater no animal e sem cair! Ele também se desviou um pouco e foi um malabarismo de ambos! Nunca mais fiz aquela descida a abrir... passei a ir mais devagar e afastado das casas! Se tivesse caído devia ter ficado com umas boas cicatrizes e talvez com uns ossos partidos!
  • Gafanhotos - Sim, é estranho mas tenho um encontro imediato com estes pequenos seres herbívoros! Nas imediações do Crato - Portalegre, ia com outro primo meu, e vemos ao fundo o chão com uma cor diferente, acizentada. Ao aproximar-nos começamos a ver mantos de pequenos gafanhotos, aos milhares, ou seriam milhões? Apesar de ter crescido a ouvir o "Atirei o pau ao gato, mas o gato não morreu!", eu sou amigo dos animais e não queria passar por ali, pois os bichinhos não tinham a culpa, mas o caminho era aquele e não havia alternativa! Os mais sensíveis e ambientalistas que me perdoem, mas a verdade é que foram quase 100 metros a esmagar gafanhotos! Sorry! Tivessem eles contra-atacado e estávamos lixados! Surreal e digno de um filme do Hitchcock! 
No Surf:

Num meio tão perigoso como o oceano, é espantoso como só tive um encontro imediato, digno de registo, com um animal:
  • Alforreca - Há muitos verões atrás, cerca de 20 (estou a ficar velho...) houve uma "invasão" de alforrecas na Costa da Caparica, com uma expressão tão grande que por vezes se viam às dezenas, cada vez que levantava uma onda. Nesse verão, numa sessão de surf que ficará para sempre na minha memória, pois deslizava nas ondas e sentia as quilhas a cortar alforrecas por baixo da prancha,...  ia eu a remar e a passar as ondas e quando me sento na prancha, reparo que ao meu colo tinha a "mãe de todas as alforrecas" na prancha e entre as pernas! Grande bicharoco! Não estava à espera...que susto!!!! Mandei-me para o lado e livrei-me do bicho! Xiça!!! Tive sorte, pois não lhe toquei com as mãos e safei-me, mas dizem que a picada é bastante irritante e eu ali com as mãos a uns cms... UFA!
E pronto, é isto! Para já não me lembro de mais...


Hasta


 

Novamente a Treinar, por Lisboa!

Boas! Se há coisa que eu gosto é mesmo do nome deste blogue! Mais adequado não há! Cada treino, prova ou atividade é sempre um retorno,...