segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Trail de Bucelas 2016


 

 

Boas,

 

Inesquecível! Esta foi uma daquelas provas que mais tarde, se tiver memória, vou contar aos netos!

 

Antes de mais, seguindo a tradição da malta que corre, vou já queixar-me das maleitas que impediram que eu ganhasse aquilo!

No sábado, antes da prova, tive uma dor de cabeça, que foi o culminar de uma semana de caca, que como diria o Otávio Palmelão: “Vocês sabem do que estou a falar…!”

Foi a cereja no topo do bolo!

Fui para a caminha com um brufene em cima, e para levantar a moral, adormeci a ver a Quinta do IKEA na TVI… aquele programa onde se montam e desmontam.

 

Domingo, levantei-me e estava mesmo “Baril”! Fixe! 
Cheguei a Bucelas, onde encontrei o Paulo Fialho, o tal da cabeçada contra o sinal de trânsito e recuperamos alguma conversa dos 30 anos que não nos vimos! A cicatriz mal se nota!
Também encontrei o pessoal dos corre@correr e após alguma galhofa e desejos de boas provas, demos um xi-coração e fomos para a partida!

 

A prova começou com uma brutal subida ao fim de uns 300 metros, que arrefeceu os ânimos de quem ia todo contente e a tirar selfies! 

Bucelas tem trilhos muito bons! Por inúmeras vezes ia a correr e imaginava-me ali com a minha BTT! Singletracks brutais e técnicos para disfrutar! Ficou na retina!

Também tem riachos e rios, que para serem transpostos a organização coloca e muito bem umas cordas de apoio, para que a malta não se esbardalhe. A água é fria…

Em relação à organização, 5 estrelas! A malta é toda bem recebida e nos postos de abastecimentos até parece que estamos a chegar a casa de uns tios ou assim! Gente muito simpática! Parabéns!

Nos postos de abastecimento havia laranjas, bananas, bolinhos, água e isotónico com fartura! Nada a apontar de negativo! 

Não vi a famosa cascata que a organização promoveu com fotos durante a semana no Facecoiso. Não vi, porque fui tótó! Agarrado à corda numa passagem pelo rio e a olhar para a água, nem olhei para o lado, para a cascata! Boa desculpa para lá voltar :)

 

A prova ia-me correndo bem, mas ia sentindo dificuldades nas subidas que tinham de ser feitas a caminhar. Ao fim de algumas subidas as pernas começaram a vacilar um bocado e a ficar doridas, mas quando o terreno aplanava, ia conseguindo recuperar o ritmo!

 

Até que… 

Aos  ca. 15 km subimos 150 metros de altitude no espaço de 1 km! A pique!

Ainda antes de subir, no ponto de abastecimento avistava-se a serra e uma fila de participantes, qual pequenas formigas coloridas a subirem aquilo a direito! Enquanto comia uma banana e um isotónico, ia olhando para aquele dejá-vu! Já tinha visto uma coisa parecida e que também hei-de contar aos netos. Na Rota da Neve em BTT da Serra da Estrela, há uns anos atrás, o visual da situação era o mesmo e tive que subir uma montanha daquelas, arrastando a bicicleta como podia, tentando não escorregar. Se ali o fiz com a bike às costas, aqui em Bucelas não haveria de ser mais difícil!

Foi do catano, do caneco e do camandro!

Foi subir tentando não escorregar na lama, tentando ganhar atrito em pedras, em raízes, em ervas, em participantes, enfim, tudo servia, desde que não fosse a rebolar para trás! Estou a brincar, claro que não pisei nenhuma raiz!
Quando acabei a subida, acabou a minha fabulástica prestação… pois a partir dali, foi gerir o esforço para acabar! Mal adivinhava eu que ainda haveria de vir outra irmã daquela subida…

Se até ali ia ultrapassando alguns participantes, dali até ao final fui eu sendo ultrapassado por meia-dúzia de atletas! Já não dava! Só queria acabar!

A malta fala das subidas, mas e as descidas? Também massacram bastante as pernas, de tal modo que já me era difícil travar!  

Mas teria que arranjar forças para ultrapassar a última montanha, que também não era nada fácil. A subida era menos difícil que a da primeira montanha, pois era feita ao ziguezague, tinha pedras, folhas, raízes e isso facilitava a progressão, mas apesar disso, já estava a pedir, a implorar que a prova acabasse, quando ainda faltavam 1 ou 2 kms!  

O último km da prova é a descer, mas como até isso me custava, fui indo por ali abaixo como podia!

Ao descer, vem um atleta a subir (!) que encontra um amigo no pelotão de 3 ou 4 onde eu ia… “Ah e tal vinha à tua procura! Fiquei em 6º”

Eh pá.. eu tento não ser mal-educado para ninguém, mas mentalmente mandei-o para alguns sítios :)

No entanto e apesar disso, ele até parecia simpático e brincava com o amigo, animando-o e acabando por espalhar a boa disposição: “És a 4ª mulher” dizia… :)
 

Finalmente lá cheguei à meta… e pude descansar! Ufa! 

A reter desta participação… tenho que treinar mais subidas em montanha, pois para o ano que vem, quero lá voltar!

Para a história e arquivo pessoal: acabei a prova em 2h25min,  em 107º da geral, entre 478 participantes.
 

 

 




Hasta!

Trail de Sesimbra 2019 - 15k

Boas! "Este Trail de Sesimbra parece uma prova interessante para a malta se inscrever... é perto de Lisboa e o camandro!"  ...