segunda-feira, 30 de novembro de 2015

RP na Coina - 1ª Corrida B- Planet


Partida! Lá vamos nós!

Boa, não há atravancamentos, a malta já está a correr! Mas xiça... o que é isto?... Doem-me as pernas e estão presas... será nervos? Mas então o aquecimento não serviu para nada? Até aqueci bem, se calhar é por estes primeiros metros serem ligeiramente a subir... ai ai ai,  já estou a ver que isto hoje vai ser difícil!
Vou controlar o passo..., e vou arriscar um ritmo vivo e seja o que o destino quiser! Lá para a frente logo se vê, agora não quero pensar nisso!
Olha a placa do 1º km... hum, quanto é que marca o cronómetro? - 4:08 min! Boa, vamos ver se consigo manter este ritmo! Vou-me arrebentar todo hoje!!! :)

Olha a primeira subida, são só cerca de 50 metros... baixo ligeiramente o ritmo, feito.... agora a descida... aproveito! As dores nas pernas foram-se embora!
Vou encostar a este matulão de 1.90 e 90 kg e aproveitar o ritmo dele... Mas como é que este tipo mantém este passo com este tamanho??? Não é o estereotipo de um corredor!

Placa dos 2 km... 8:25 minutos! Boa! Apesar da subida, estou dentro do desejado!
Aí está outra subida, a mais comprida. O que vale é que também a vou descer na volta! Bom, afinal não é assim tão inclinada e dá para manter uma boa passada, mas não se vê o seu fim!
Feita a subida e tchau aí ó matulão. Eu bem estava a achar este ritmo demasiado rápido para ele... :)
Olha outro...o tipo das calças de fato de treino e dos ténis de basket (na foto)! Tchau também! Bem me parecia que ias depressa demais! Continua nas corridas pá, mas muda de equipamento, pois tens potencial  ;) 

Vou estabilizar o ritmo até aos Foros da Catrapona onde é o retorno, pois isto é uma recta interminável para lá... e para cá! Porra mas que estrada tão comprida... mas estou a aguentar bem!
Placa dos 4 km... 16:25 min! Boa, está na média...
Olha os três primeiros que já regressam...  que grande passada (o vencedor Carlos Saias terminou com o tempo de 33:28 minutos)
Aparece a placa dos 5 km, com curva a 180º e abastecimento. Pego na garrafa e abrando um pouco para beber dois goles de água! Nem controlei o meu tempo...
Vai! Recupera o ritmo que estás bem, mas não te podes esticar!!!
Vou juntar-me a este trio e tentar estabilizar a passada! Não os passes que eles vão bem e na conversa... fónix, mas este tipo conhece toda a gente? Cumprimenta tanta malta que vem no sentido contrário! E não se cala a falar de comida e o catano... :) bom, é sinal que vai bem... vou aproveitar a boleia deles e ver o que isto dá!

Aproxima-se o final da recta e a descida comprida, onde vou tentar relaxar!
O trio começa a desfazer-se e aproveito a boleia do mais rápido, um que não ia a falar! 
Isto devia ser sempre a descer... assim é que era bom... mas se é bom para mim,  é para os outros, pois não estou a passar ninguém!
O tipo do trio, foge de mim e até ao final da prova esteve sempre a 15/20 metros. A partir daqui fui sempre sozinho.
Placa dos 8 km... 32:35 minutos! Oi?  Deixa lá ver... se fizer 4 e uns pozinhos ao km, vai dar! Está quase garantido, desde que não dê o estoiro!
Já só falta o sobe e desce mais ligeiro e depois é ligeiramente a descer até à Meta, por isso, vou conseguir chegar perto dos 41 minutos! É possível, vou esforçar um pouco este ritmo! Olha a malta da caminhada, será que vou fazer uns ziguezagues? Mau, só espero que não atrapalhem o pessoal dos 10 km!
Olha a estação... porra, raio da rotunda, é feita a curvar e a subir e ainda a contornar uma família a caminhar por dentro e isso não está com nada! Já vou um bocado desengonçado! Saiam da frente que estou a sofrer, caraças!!! :)
Falta pouco... já estive aqui a aquecer antes da prova... é só mais um esforço! Olha a última rotunda... a descer... estico a passada para a Meta, vejo algum público a incentivar e a bater palmas e... FEITO!!!
Missão cumprida e novo recorde pessoal nos 10 km! Fico super contente, e faço um gesto com o braço do tipo toma e encaixa, que já está!
Recebo a garrafa de água e o saquito com umas publicidades, uma fita e uma esferográfica! A crise não dá para mais... :)

Vejo a esposa e espeto-lhe um beijo!  Consegui bater o meu recorde, digo-lhe! Obrigado pelo apoio!
Recupero a respiração e começo a assimilar o tempo que fiz e a recordar-me dos treinos que tenho feito nos últimos tempos e de como deram frutos! Valeu a pena!



A partida, folgada, como se deseja:

O tempo esteve fenomenal para correr, com Sol, temperatura fresca e sem vento!
Em relação à organização, nada a apontar! Foi uma corrida simples, com percurso marcado com placas de km e um abastecimento de água aos 5 km. Não é preciso mais que isto! Espero que esta tenha sido a primeira Corrida B-Planet de muitas, pois a malta gosta destas provas perto de casa! 
Para ajudar à causa até usei a camisola técnica oferecida, bastante boa por sinal, o que normalmente não faço!
Classificação 62º em 310 participantes.


Hasta!

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Biorritmo para a Coina!






Quando um gajo não acredita em bruxas... tem que se agarrar a alguma coisa para justificar o seu estado e o seu destino! :) 
E perante os últimos acontecimentos, hoje agarrei-me a isto, o biorritmo! Muitos não se lembram, mas esta espetacular análise do estado físico de uma pessoa, aparecia em todos os jornais diários! Era quase como se nos conhecessem pessoalmente! E segundo o gráfico, o meu estado físico (linha verde) vai estar negativo, com  -63% no próximo dia 29 de Novembro, na Corrida B-Planet, em Coina! Xiça pá! O destino é tramado, pois não tenho participado em provas de 10 km há algum tempo...  e logo agora, que me sentia com capacidade para atacar o meu RP, vou estar nesse estado!!!

Fora de brincadeiras, uma vaga de constipações passou lá por casa, deixando a malta toda gripada, eu incluído claro, pois pareço um íman de gripes... atraio tudo!
Brufenes, anti-histamínicos e outras drogas para inalar, foram devoradas pela malta lá em casa, tal e qual uns junkies...
Com isto tudo, baldei-me forçadamente a alguns treinos desde a semana passada e só na quarta-feira é que me senti melhor e fui treinar. O treino até correu bem, muito bem mesmo, talvez devido às drogas... mas a coisa não está famosa agora. O bicho ainda não se foi embora... e ando entupido!

Não há-de ser nada... e noutras ocasiões já me senti assim antes de uma prova e a coisa não correu mal, por isso, no domingo vou tentar contrariar este gráfico, nem que o vire ao contrário, e vou lançar-me no ataque e ao meu RP de 10 km (43:59 em 2013).

E vou tentá-lo com ou sem bruxarias, biorritmos e outras macumbas!
Sinto que me vou dar bem na Coina! :)

Depois conto como foi!


Hasta!









segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Corre Jamor 2015. Como foi...

Boas!


O Môr ontem lá foi à prova e foi assim:


Num belo dia para correr, solarengo e com uma temperatura amena,  fui matar saudades da zona olímpica :) , na 6ª edição do Corre Jamor.
Cheguei cedo pois não tive oportunidade de levantar o dorsal da prova nos dias anteriores e tive que o fazer antes da prova. Eram 09h00 e já por ali andava a vaguear... e a prova só começava às 10h30! Felizmente tive o apoio e companhia da esposa e o tempo de espera passou mais depressa.
Da malta minha conhecida e que anda nestas andanças, só vinha o Simões, que anda a experimentar outros terrenos que não os de estrada e parece que gostou disto: " a distância até se faz melhor!", dizia ele!
Também apareceu o "Limpaneves". O Frederico "Froids" é um companheiro de BTT de longa data e também ele se estreou a competir na terra... a correr, pois na BTT tem mais quilómetros que eu nas duas modalidades... Diz que gostou e vou esperar ansiosamente para ler a crónica desta prova no seu blog!


O ambiente estava animado na Praça da Maratona, com os participantes da caminhada de 3 km e da prova dos 10 km a serem incentivados pelos speakers e pela malta das aeróbicas, que puseram todos aos pulos! E foi com essa boa disposição geral que todos entraram na velhinha pista de tartan do Jamor, para a zona de partida onde se realiza a prova dos 200 metros. Coloquei-me bem na partida e este é um procedimento que estou a tentar não falhar... pois partir bem faz toda a diferença!


Estivemos ali poucos minutos... 3 ou 4... até que se iniciasse a prova, para logo cumprir uma volta à pista e sair desvairado para a estrada em direção à zona das piscinas. Nessa parte inicial, a descer,  é fácil embalar para um andamento rápido e no meu caso embalei demais, pois ia ouvindo alguns comentários do tipo: "vamos a média de 3:55"... o que me alertou para refrear um pouco o ritmo, que esta não é uma prova rápida...
Cumprido o percurso da zona baixa do Vale do Jamor, era altura de subir novamente para a zona do estádio, passando pela 1ª subida em terra batida, que já é uma velha conhecida de outras ocasiões, pois é sempre percorrida no Corre Jamor e no Duatlo do Jamor. E custa sempre...


Voltando à estaca zero de altimetria, entrámos na mata das imediações do estádio, a subir pela sua esquerda e aí fizemos uma série de ziguezagues pelos trilhos e caminhos com algumas subidas e descidas. Aos 6 km comecei a acusar algum cansaço, e apesar de me ter treinado para este tipo de terreno, só me sentia confortável no plano, onde facilmente impunha um ritmo mais rápido, o que não acontecia nas subidas, onde me doíam os músculos das coxas e ia-me abaixo. Todavia, não devia ser só a mim que doía, pois os "companheiros de luta" que ora me ultrapassavam, ora eram ultrapassados, também não se distanciavam daquela zona do pelotão.
O terreno da mata estava na sua maioria seco, bom para correr, e só o notei mais escorregadio em uma ou duas zonas mais escondidas do Sol, na parte de trás do estádio. Devido ao orvalho matinal,  algumas zonas empedradas também estavam escorregadias, sendo no entanto bem assinaladas pelos elementos da organização.
Perto do final, cerca do 9º km, passámos pela zona superior do estádio e pela tribuna presidencial, onde se tem uma vista abrangente de toda a zona do evento e da meta, na pista de tartan. Também já se ouviam os speakers, que iam identificando os participantes na meta pelo nome do dorsal!
A partir dali já só seria praticamente a descer e o ânimo aumentou, tal como as forças para acabar a prova!
Na entrada da Praça da Maratona sentimos o apoio do público e isso ajuda bastante. Se as pessoas soubessem como ajuda, acho que batiam mais palmas...
Fiz a última volta à pista e lá terminei a prova cheio de glória, com direito a  que o speaker dissesse o meu nome e tudo! :)
O que o speaker não sabia, era que aqui o menino estava todo partido! :)


Fiquei em 105º lugar, com 45:20 para os 10 km percorridos.
Terminaram a prova cerca de 1400 atletas!


Esta é uma prova a repetir! Gosto do percurso, do local e da organização!


Hasta

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

O Môr preparou-se para Correr!



Às portas da prova Corre Jamor do próximo dia 15 de Novembro e com a preparação praticamente concluída, o Môr sente-se confiante  para Correr e fazer uma boa prova!
Ainda ontem o Môr fez um treino que incluiu umas rampas e no final saiu de lá todo contente com a sua prestação! Sentiu força nas pernas a subir e sentiu o pulmão com espaço lá dentro, e por essa razão julga-se o maior da aldeia e espera que no domingo seja igual! Vamos ver se assim será...
Serão 10 km com algum sobe e desce em percurso sinuoso e não será fácil, mas pelo menos a meteorologia tem ajudado e não deverá existir lama no percurso, o que seria um transtorno! E vai estar fresco, mas com Sol! Nice...


Depois desta prova, o Môr deixa de o ser e passa a ser Astronauta, para no dia 29 de Novembro ir à Corrida B Planet  e correr novamente 10 km, mas em estrada! O Astronauta espera estar em boa forma nesse dia e fazer boa figura naquele planeta vizinho, pois competirá perto de onde vive, a 500 metros do seu planeta de origem. Tem que se portar bem, não vá lá estar algum vizinho do seu planeta e perguntará para que raio é que ele anda a treinar, armado em atleta!?


Depois... no horizonte não se vislumbra nada (só o Trail de Bucelas lá para Janeiro), embora tenha concorrido à prova subterrânea nos túneis do Metro de Lisboa, a Discovery Underground, de 12/13 de Dezembro, mas como são milhares de atletas inscritos e só 100 é que serão escolhidos, será muito difícil participar... mas, não será impossível :)


Mas para já estou no modo Môr...
Depois conto como foi!

Hasta

domingo, 1 de novembro de 2015

Treino Gold no Monsanto!

Boas!

Durante a semana anterior a ansiedade da malta crescia dia após dia, para que chegasse o fim de semana e irmos treinar no Monsanto, com o Campeão Nacional de Ultra Trail - Hélder Ferreira!
Pronto... se calhar estou a exagerar na questão da ansiedade... mas só um bocadinho! :)
Mas quem não ficaria entusiasmado com esta oportunidade? Eu fiquei, claro! Foi um privilégio!

Os corajosos que enfrentaram o alerta laranja!

Simpatiquíssimo, o Hélder acedeu em ir treinar com estes "côxos" e  partilhar algumas experiências, dicas e histórias sobre a modalidade, que foram disfrutadas até ao tutano! :)
É muito diferente absorver a informação de quem tem a experiência de correr na elite, da de ler sobre esses temas na internet ou em manuais e revistas! Foi um workshop de luxo!
Tivemos azar com o estado do tempo, que não estava para meninos,  com avisos e alertas laranjas e vermelhos em algumas zonas do país. Na noite anterior ainda questionei se iríamos para a frente com esta empreitada, ao que me foi respondido que sim, que ninguém iria vacilar perante umas gotas de chuva e que o Hélder também não! Também não seria por minha causa, pois adoro correr à chuva!  Todavia, o Monsanto com muita chuva... tem muito que se lhe diga, pois fica escorregadio e algumas zonas são barrentas e têm muitas poças e raízes, dificultando as subidas e descidas mais técnicas.
Mas fez-me bem e quando cheguei a casa  fui verificar...  tenho mais três cabelos no peito! :)

Durante o percurso o Hélder apresentou-nos algumas "subiditas", explicando algumas técnicas de subida e também algumas "desciditas" mostrando como se faz! A malta ia atrás como podia e conseguia, mas o ritmo imposto foi sempre acessível tendo em conta o nosso nível. - "Até a andar podemos ir" dizia o Hélder, o que interessa é manter o grupo! O Moreira brincava e dizia que o Hélder estava a fazer o arrefecimento pós-treino ou cool-down connosco, o que era literalmente verdade, pois ele já tinha feito o seu treino antes de nós chegarmos, bastante cedo! Bai lá Bai! :)

 Quando a malta se reúne... dá nisto! Enfim, patetices... :)
 
Já conhecia o Monsanto devido ao BTT, mas há sempre algo novo e perspectivas diferentes de abordar a mata. O Hélder mostrou-nos o seu percurso e por exemplo, nas Pedreiras, onde a malta desce aquela rampa enorme com as BTT...  nós hoje subimo-la, a correr! Nunca pensei fazê-lo! Cedo nos apercebemos que para chegar ao topo competitivo na modalidade de Trail, tem que se treinar bastante e ter uma grande entrega ao sofrimento. Apesar disso, o fator diversão está sempre presente. De outra forma não poderia dar certo!
Aliás, durante todo o treino, notou-se bem a paixão com que ele corre e vive para o Trail. Ouvi-lo falar foi sempre cativante e a facilidade com que fala enquanto corre é impressionante e é um sinal de excelente forma!
Depois das Pedreiras, dirigimo-nos para a aquela subida paralela à autoestrada que eu simplesmente  apelidava de "comprida", mas que o Hélder e a malta do Trail, lhe chama a "Cabra"! Já conhecia a "Cobra" em Palmela e agora fiquei a conhecer a "Cabra". A Cabra é dura e eu batizei-a com outros nomes no final! :)
 
 
Na parte final do percurso, passámos por outros singletracks muito engraçados entre a vegetação, que a descer eram feitos mais rapidamente, apesar do rêgo de água no meio e poças de água do Planeta Marte... com água laranja, entenda-se! Se no início ainda me desviava de algumas poças, no final já nem ligava a isso. É sempre assim, quando já estamos de cabeça perdida :)
Foi um splash splash spalsh até ao final, no Calhariz!
Terminado o treino, o Hélder, generosamente, ainda nos deu a provar uns produtos da Gold Nutrition, e fiquei fã da marca! Gostei dos sabores!
Foi um treino inesquecível, sem dúvida! Adorei!
 
Obrigado Hélder Ferreira, por tudo!
 
Falta aqui referir um pormenor: choveu desde que saí de casa, até chegar a casa!

Hasta
 

No Natal fui ao baú!

Boas! Um Natal passado na casa dos pais dá nisto... um visita ao acervo fotográfico e uns achados inesperados! No meio dos álbuns de fot...