segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Corrida do Atlântico 2015

Boas!

Pela 2ª vez participei na Corrida do Atlântico, na Costa da Caparica.
Esta é uma vila com a qual tenho uma ligação forte, devido ao meu passado de campista e principalmente pelo meu outro "hobby", o surf. Foram muitas horas em banho maria naquelas praias maravilhosas...
Por essas razões e juntando a paixão pela corrida, havendo uma corrida de 10 km naquele local e ainda por cima, passando pelo paredão da praia durante 2 kms, é daquelas que só não vou se não puder!

Chego cedo, às 09h00, mas mais uma vez atraso-me na ida para a caixa de partida e fico lá para trás, obrigando-me à gincana inicial de passar os atletas mais lentos. Há malta que só falta ir de mão dada e torna a passagem difícil! Mas a culpa é minha, que terei de me apresentar mais cedo, só que não tenho paciência nenhuma para estar ali no pelotão uns 15 ou 20 minutos à espera e a cheirar bálsamos...

Não tinha treinado especificamente para uma prova de 10 kms nesta altura, pelo contrário, o plano que estou a seguir tem como objectivo a meia maratona da EDP, em 22 de Março e tenho feito alguns treinos longos, bastante longos para mim, mas ainda assim esperava fazer um tempo na casa dos 42'/43' minutos, quiçá, bater o meu recorde na distância, pois tenho-me sentido bem.
Mas, partindo de trás... fica mais difícil.  O 1º km foi feito em cerca de 5'30'' e o 2º km perto dos 5'. Só a partir daí haveria espaço para tentar manter um ritmo adequado a esse objectivo.
O esforço para recuperar  foi maior e embora não tenha rebentado como habitualmente me sucede nos últimos 2 kms, pois até consegui acelerar nesse período, já não foi possível bater recordes. Fica para outra oportunidade!

Ainda assim, passei a meta com um registo de 44'31'', o que dá para manter a média pessoal ali pelos 45'.
Classificação no geral: 268º em 1809 atletas.
Classificação no escalão M45: 40º em 193 atletas.

Agora... falta um mês até à meia da EDP, e é treinar, treinar, treinar!

Hasta!


 

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Cabo Espichel - Treino Softíssimo de 23 km!

Boas!


O desafio de ir treinar para os lados do Cabo Espichel, já tinha sido lançado há algum tempo, mas sem querer, foi marcado para o fim de semana do Carnaval, o que impediu alguns dos corre@correr de participar.
Ainda assim, os "cavalos" do grupo, (forma carinhosa com que fomos apelidados pelos restantes membros que não foram, porque nós éramos uns cavalos...,) apareceram para treinar os 10/11 kms propostos, com um final apoteótico com bifana no Espichel! Nem mesmo afirmando e jurando a pés juntos que este seria um treino "soft", com andamento adequado ao grupo que aparecesse, a malta não acreditou e não quis vir! Alguns até se mascararam de matrafonas e foram brincar ao Carnaval, só para não correr conosco... Vergonhoso :)

Mas sem miaúfa, apareceu o Moreira, que é doido por estas coisas de trilhos e tralhos,  que eu desconfio que nem dormiu na noite anterior, só a pensar nisto e a preparar ao pormenor todo o "gear", e também apareceu o Ricardo, um daqueles atletas que não precisa de treinar para aparecer bem nas provas (onde é que eu já li isto?) e que não corria desde Novembro, no Corta-mato da Amora! Ah valentes!
O dia estava cinzento, com algum vento na zona do Espichel, norma do local, mas ainda assim estava bom para correr, com uma temperatura por volta dos 10/11º. As roulotes já lá estavam e a bifana no final estava mais que garantida, pois os motards que ali afluiem aos domingos eram poucos, devido ao tempo com Sombras de Grey!

Iniciado o treino, dirigimo-nos para a vertente sul do cabo e em direção à Azóia. O GPS, vulgo Gajo Para Seguir, ou seja eu, encaminhou a malta para os trilhos que se lembrava e para os que não se lembrava.


Ao fim de 6 kms e chegados ao ponto de retorno que estava planeado no desafio, perguntei ao Ricardo se estava bem, ou se queria voltar para trás, pois nessa altura o treino daria cerca de 12 kms e a coisa ficaria por aí. Mas não, a resposta era sempre que vamos andando que "estou bem". Okapa! Ai então chamaram-nos de cavalos? Então vamos fazer jus ao nome!!!



Antes de chegar à Azóia, há um estradão que acompanha a falésia até à zona da pedreira e  que desce quase ao nível do mar ao longo de 2 ou 3 kms. Aí a coisa fica mais dura e técnica, e é um local por onde passa o Ultra Trail de Sesimbra. Secretamente, já tinha planeado passar por aí, caso houvessem pernas e a malta quisesse esticar o percurso, sendo que a volta passaria a ter cerca de 18 kms. A partir daí o treino endureceu e houve menos conversa, embora fôssemos correndo e parando conforme as necessidades, vontade ou para uma pausa para as fotos. Após a descida inicial aparecem algumas subidas íngremes e que foram feitas a penantes e nas descidas pedregosas havia o cuidado de ver onde colocar os pés e fizeram-se uns ziguezagues. Nessa zona também existem uns singletracks, muito bons que serpenteiam pela vegetação e sempre com calhaus no chão que tornam esse trecho bastante divertido! Chegados à pedreira do Zambujal e depois de termos tentado sair dali por outros acessos, decidimos voltar para trás, por onde tínhamos entrado, voltando a percorrer o caminho por onde viemos, com ligeiras alterações.

O Ricardo ia dizendo que estava bem, embora já se adivinhasse  um final doloroso, o Moreira era pau para toda a obra e eu lá me ia sentindo em condições de continuar sem problemas. O magnésio e a manteiga de amendoim pareciam estar a dar resultados, tal como as meias de compressão, que na sua 2ª utilização, também ajudaram (acho eu).


No final, chegámos ao farol do Cabo Espichel, numa altura em que o Ricardo, estoicamente se aguentava, mas mesmo no seu limite. Ainda assim, já que não se vai ao Cabo Espichel todos os dias e o Moreira não conhecia, propus um desvio extra com cerca de 1 km, até à casinha de vigia que está a sul do farol, mas aí já só tive companhia do Moreira, pois o Ricardo foi andando para o final e encomendando as bifanas :)



Foi literalmente um grande treino, pois nunca tinha feito tantos kms num só treino!

Dados deste treino, lidos pelo Garmin do Moreira:




Mais que uma Meia Maratona, em trilhos...! No final senti-me bem, mas já só pensava num sofá!!! Aliás, quando vinhamos sentadinhos no carro para o regresso, o Ricardo até disse: "Eh pah, isto é muito conforto para nós!!!! " :)
Hoje doem-me as pernas!

Para a semana tenho os 10 km da Corrida do Atlântico... vamos ver como é que recupero disto!

Aos aventureiros, obrigado Moreira e Ricardo, pela excelente companhia e companheirismo e parabéns ao Ricardo por se aguentar neste raid, sem treinar há 3 meses...!

Hasta







 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Recuperação do futebol, com corrida!

Boas!

Depois da futebolada fiquei feito num oito! Mas não fui só eu, pois na segunda feira constatei que a malta do trabalho que também foi jogar parecia uma cambada de coxos pieguinhas, com toda a gente a queixar-se do mesmo: "Doi-me as virilhas!" Ais uis e tal!
É só meninos!

Dizem e com razão, que para expulsar o ácido lático que está preso nos músculos, e que nos causa esse desconforto e dor, que se deve correr logo nos dias a seguir, pois o metabolismo do exercício irá ajudar nesse processo. Todavia, por disponibilidade, só o consegui fazer na terça feira. Com um início de corrida em que a minha figura deveria parecer Veterano IX, lá consegui ir endireitando o esqueleto e assumir uma pose digna e honrada de um corredor. E que bem que fez este treino! Fiquei bem melhor ainda no próprio dia, à noite.

Assim, recuperado do futebol, voltei aos treinos com o objetivo não tão longínquo da Meia da EDP, e consequentemente vou aumentar a carga de kms e efetuar uns treinos mais longos que o habitual, coisa que eu não aprecio muito, mas que terá de ser feita... para não sofrer na prova!

Resumo da semana:

3ª feira: treino de recuperação activa- 5 km em 28:00, ritmo 5:36 min/km
5ª feira: corrida confortável: 9,4 km em 46:14, ritmo de 4:55 min/km
Sábado: Ginástica urbana :) (basket com os putos, musculação nas máquinas, minigolf... no parque municipal)
Domingo: treino longo: 17,8 km em 1:28:38, ritmo 4:59 min/km. Na fase final, os últimos 2 kms custaram-me um pouco e senti as pernas um bocado presas, embora na respiração estivesse bem.

Não estou a conseguir encaixar a BTT na agenda de treinos o que me está a preocupar. Isto da corrida é um vício e entre um treino de corrida e um de BTT, facilmente opto pela corrida. Hum... pode ser que a justificação esteja no frio!

Hasta

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Treino no Jamor... mas de futebol!

Boas, este Domingo fui dar uns toques na bola!

O futebol é um ótimo treino para... NOS ARREBENTARMOS TODOS!!!!
Dói-me tudo. Não estou habituado! Enquanto lá andei dentro senti os benefícios da corrida, e dei o litro, ou  litro e meio. O "meio" foi dos músculos mais esquecidos, que hoje estão aqui a reclamar!
Como dizia um colega meu no final do jogo: "Não sei se é das virilhas ou dos tomates, mas dói na zona dos joelhos!"  :)

O local escolhido para tamanha categoria de futebolistas (pessoal do trabalho) foi o Estádio Municipal de Oeiras.



O mercado de transferências fecha hoje... pode ser que o meu agente ainda me ligue até às 23h59!

Hasta

No Natal fui ao baú!

Boas! Um Natal passado na casa dos pais dá nisto... um visita ao acervo fotográfico e uns achados inesperados! No meio dos álbuns de fot...