terça-feira, 3 de março de 2015

Era uma vez... uma placa de sinalização!




Na falta de treinos... e para distrair a alma, venho aqui partilhar o que se passou há muitos anos num treino na 2ª circular. Outro dia lembrei-me disto e até contei a um amigo. Tenho de o postar, pensei!
Histórias de corrida são como as dos pescadores... há muitas e todos temos, mas existem aquelas que são tão caricatas que nunca mais se esquecem.

O que eu venho partilhar aqui, passou-se quando eu era um atleta juvenil, com 15/16 anos. Na altura eu ia para Lisboa treinar ao final da tarde, depois da escola, ou quando os horários permitissem. Depois dos transportes da Rodoviária e Carris, lá chegava finalmente e no Inverno os treinos eram sempre noturnos àquela hora, perto das 19h00.
Num desses dias, na companhia de outro atleta juvenil, o Paulo, rumámos do Estádio da Luz em direção à 2ª circular e em direção ao Estádio de Alvalade, para cumprirmos uma ida e volta de cerca de 30 minutos. Devido à poluição este não era um local muito utilizado por nós, pois normalmente íamos para o lado contrário, para o Monsanto. Mas naquele dia para não andar às voltas na pista fomos para ali, porque o Monsanto à noite não é convidativo!
O Paulo e eu entrámos para o clube na mesma altura, tínhamos um andamento parecido e nas provas, as distâncias preferidas e que corríamos eram as mesmas, os 800 e 1500 metros na pista e os corta-matos! Era normal treinarmos juntos muitas vezes!
Nesse treino, e já no regresso, íamos correndo no pequeno passeio cuja largura só dava para nós dois e em contramão, ou seja, com os carros a vir de frente. Quem conhece a 2ª circular, sabe que é um trânsito infernal àquela hora. Muitas luzes a ofuscar a vista...!!!
De repente, enquanto conversava com o Paulo, com o habitual bla bla bla e o andamento e o ritmo e tal... oiço um som CATRÁS (!) e enquanto falo, olho para o lado só vejo escuro, pois deixo de ver o Paulo!!! Oi? Uns 3 ou 4 metros à frente páro, olho para trás e vejo-o sentado no chão e com a mão na testa! O Paulo tinha batido com a cabeça numa placa ou sinal indicador de localidade e devido a um espetacular efeito-mola ficou sentado no chão! Talvez devido às luzes dos carros ele não se tenha apercebido do sinal, por ofuscação! Uma cena à Fail Army!

De início deu-me vontade de rir, mas logo me apercebi que ele, ao destapar a testa, tinha a mão com sangue!
Rapidamente fizemos um mini-diagnóstico e chegámos à conclusão que o melhor seria eu ir buscar ajuda ao clube, pois tinha um corte com cerca de 2,5 cm na testa! Lá fui em ultra-speed no último quilómetro para avisar o meu treinador, o Sr. José Araújo, que providenciou ajuda para o Paulo!
O Paulo foi para Hospital onde levou 2 ou 3 pontos!
Imaginem agora a reação dos outros companheiros de equipa quando souberam da história, que contámos inúmeras vezes! E pediam para repetir! eheheh
Os comentários eram inevitáveis!
- "Cuidado com esses dois, estão cá com um andamento!"
- "A que velocidade é que iam?" :)
- "Ali a velocidade máxima é 50 km/h!"
- "Mister, nós não vamos com eles, andam muito!"
E outros comentários que não me recordo agora...
Durante algum tempo, e enquanto o Paulo andou com o penso na testa, a coisa foi animada e relembrada!
Depois a história passou... até o outro dia, que a fui buscar ao baú!
Perdi o rasto ao Paulo, nunca mais o vi. Quem sabe lê um dia esta história ou algum próximo o faça e a malta ainda se encontra! Um abraço para ti Paulo!

Hasta

Novamente a Treinar, por Lisboa!

Boas! Se há coisa que eu gosto é mesmo do nome deste blogue! Mais adequado não há! Cada treino, prova ou atividade é sempre um retorno,...